Matemática da Natureza - Matemática do Planeta Terra

Ir para o conteúdo

Menu principal

Matemática da Natureza

Projetos

No âmbito do projeto "Matemática do Planeta Terra" o Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, o Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa e o Museu de História Natural da Universidade do Porto promovem o projeto A MATEMÁTICA DA NATUREZA.

Este projeto pretende divulgar o património em história natural de museus, centros de ciência e escolas do nosso país, mas também sensibilizar estudantes, professores e público em geral para a matemática que está por trás dos fenómenos da natureza, da biologia, da zoologia, da botânica e da ecologia.

T
erão lugar iniciativas várias, na forma de demonstrações, palestras, exposições, etc.
Esperamos poder contar com a colaboração de parceiros que queiram colaborar neste projeto que visa intensificar o diálogo entre a matemática e as ciências aplicadas em geral.

Instituições que pretendam ser parceiros de A MATEMÁTICA DA NATUREZA podem preencher o formulário de contacto.


PROGRAMAÇÃO


MAT-OESTE 2014: MATEMÁTICA NA REGIÃO OESTE - 7.ªEDIÇÃO
11 DE JULHO DE 2014  |  Escola Superior de Tecnologia e Gestão do IPLeiria
Este é um e
ncontro promovido anualmente pelo Departamento de Matemática da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Leiria destinado a professores de todos os níveis de ensino e público em geral. Nesta edição o tema é "Matemática na Natureza". O MAT-OESTE pretende ser um encontro de divulgação, discussão, partilha de experiências e competências, nas mais diferentes vertentes da Matemática, procurando promovê-la na região oeste. Além das palestras proferidas por oradores convidados, durante a manhã do dia 11 de julho de 2014, os participantes poderão assistir à entrega dos prémios da 6.ª edição do Prémio Pedro Matos, promovido anualmente pelo Instituto Politécnico de Leiria e destinado a alunos do ensino secundário, cujo objetivo é fomentar a criatividade e o interesse pela Matemática e suas aplicações, bem como despontar novos jovens talentos.
(SÍTIO OFICIAL DO EVENTO)   (CARTAZ)


O ECLIPSE TOTAL DO SOL NA ILHA DO PRINCIPE

2 DE NOVEMBRO DE 2013 | Museu da Ciência - Coimbra | 15H00

João Fernandes, Departamento de Matemática da FCTUC

No dia 3 de Novembro de 2013 ocorreu um eclipse total do Sol, visível na Ilha do Príncipe. Esta efeméride foi celebrada pela comunidade científica internacional, que  promoveu iniciativas em diversos países onde o eclipse vai ser visível. Em Portugal o eclipse foi visível como parcial. Para a ilha do Príncipe, a ocasião mereceu um carinho e uma atenção especiais já que foi também na Ilha do Príncipe, a 29 de Maio de 1919, que decorreu um eclipse total do Sol cuja observação permitiu validar a teoria da relatividade, tendo assim surgido o evento ECLIPSE 2013: História e Ciência no Príncipe , dirigido ao público em geral, para celebrar tanto o eclipse de 2013 como o de 1919. Nesta sessão explicou-se como surgem os eclipses, qual a forma segura de os observar, e ainda como é que em 1919 se conseguiu validar a teoria da relatividade a partir da observação de um eclipse total.


20 DE SETEMBRO DE 2013  | Artigo - Tribuna das Ilhas - Açores

"À procura de Fibonacci II" - Artigo de Ricardo Cunha Teixeira.


6 DE SETEMBRO DE 2013 | Artigo - Tribuna das Ilhas - Açores

"À procura de Fibonacci I" - Artigo de Ricardo Cunha Teixeira.



INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO "A MATEMÁTICA E A NATUREZA"
5 DE SETEMBRO  DE 2013 |  Escola de Verão de Matemática 2013  |  MUHNAC - Lisboa | 09H00

A exposição "Matemática e a Natureza" foi reformulada no âmbito do Ano Internacional da Matemática do Planeta Terra, numa parceria MPT2013/APM. É constituida por 12 cartazes, abordando 4 temas príncipais (Matemática e o Reino Animal, Matemática e o Reino Vegetal, Matemática e os Mapas, Matemática e Curiosidades) que transmitem situações onde a Matemática surge na Natureza. Esta exposição surgiu de uma adaptação da já existente exposição "Mathématiques dans la natures" (2000).A APM tem disponibiliza esta exposição para requisição, consulte aqui as condições e preços.
Tradução, adequação, edição e produção a cargo de Ana Eliete Reis, Joana Latas e Paulo Jorge Lourenço.
(OS 12 CARTAZES)   (SÍTIO DA EXPOSIÇÃO)   (ÁLBUM NO FACEBOOK)



O NÚMERO DE OURO

22 DE MAIO DE 2013| Museu da Ciência - Coimbra | 15H00

Para a grande maioria das pessoas, a matemática é uma disciplina fria, árida, desprovidade ligação á realidade. Na verdade, a matemática está permanentemente presente na natureza, quer na morfologia de plantas e animais, quer no padrão de crescimento de seres vivos, e esconde-se nos nossos sentidos ajudando-nos classificar o belo e o harmonioso.
Nesta sessão veremos a íntima relação do número de ouro com a natureza, com a estética, mas também com as mais diversas áreas do saber, e detectaremos a sua presença na arte, na biologia, na arquitetura, mas também na matemática.


O NÚMERO DE OURO NA ESTÉTICA DENTÁRIA

João Rui Galvão Mendes, dentista

Historicamente a relação com a beleza é frequentemente transcendental, mística ou religiosa. Tratada como uma aproximação ao divino a beleza é cada vez mais associada ao bem-estar individual e à confiança social. Será abordada a importância determinante da forma e da proporção dos dentes na reconstrução estética do sorriso, assim como a utilização prática do número de ouro em reabilitação oral.


O ENIGMÁTICO NÚMERO DE OURO

Carla Rentes e Luís Cardoso, alunos do Mestrado em Ensino da Matemática do Departamento de Matemática da FCTUC
Nesta sessão serão abordados alguns aspetos relativos ao número de ouro e a sua íntima relação com as mais diversas áreas do saber desde a sua presença na arte, na biologia, na arquitetura e na matemática.



HÁ MATEMÁTICA NOS FOGOS FLORESTAIS?
4 DE MAIO DE 2013  |  Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva - Braga | 15H00
Francisco Lage Calheiros, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Se fosse um problema de dinheiro ou de organização a Califórnia e a Austrália já tinham resolvido os problemas de fogos florestais "incontroláveis" há muito tempo. O que é que os modelos Matemáticos nos dizem?

(CARTAZ)



CIÊNCIAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA
23 DE MARÇO DE 2013 | Museu da Ciência - Coimbra | 15H00

Cidália Fonte, Departamento de Matemática da FCTUC
A informação geográfica pode ter muitas origens e características muito diversas, tendo como elo de ligação a posição espacial. São várias as ciências e tecnologias associadas a este tipo de informação, que desempenha um papel fundamental no desenvolvimento sustentável ambiental e socioeconómico. Nas duas últimas décadas as Ciências de Informação Geográfica sofreram uma grande expansão devido aos desenvolvimentos tecnológicos, nomeadamente as crescentes capacidades na área da informática e o aparecimento de novas tecnologias de aquisição de informação, como os sistemas de varrimento laser e os satélites artificiais, utilizados quer para recolha de informação geográfica quer para posicionamento à superfície da Terra. Os Sistemas de Informação Geográfica possibilitam ainda associar informação gráfica e alfanumérica, permitindo realizar inúmeras operações de análise espacial e simulação, que de outro modo não seriam exequíveis. As áreas relacionadas com a informação geográfica são hoje em dia áreas de ponta, estando muitas delas em desenvolvimento acelerado. Nesta sessão foi efetuada uma apresentação sobre as Ciências de Informação Geográfica e apresentada uma exposição de divulgação científica, que poderá ser requisitada pelas escolas, e tem como objetivo informar os jovens e professores sobre o que é Informação Geográfica, quais as suas especificidades, quais são e como funcionam as ciências e tecnologias utilizadas para a sua obtenção e disponibilização, bem como as potencialidades deste tipo de informação.


MATEMÁTICA E ÁRVORES?
21 DE MARÇO DE 2013| Instituto Piaget, Almada  | 18H00
Fernando Luís Santos, ESE Jean Piaget de Almada

O que a matemática poderá ter a ver com árvores? Mais do que se pensa. Na sequência do ano da Matemática do Planeta Terra 2013 (MPT2013) e sendo 21 de Março o dia da árvore, esta sessão pretende sugerir ligações entre estas duas ideias. Apresentam-se alguns conceitos matemáticos relacionados com árvores (árvores pitagóricas) e aplicações desses conceitos na vida quotidiana, de forma a que os presentes "olhem" de forma diferente para a matemática, e já agora para as árvores.



Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal